Índices: Brent: $20.37

23/04/2020 — Quinta-feira

Índices:
Brent: $20.37 o barril– alta de 5,38%
Dólar: R$ 5,409 — alta de 1,89%
Esalq: R$ 1.388,00 por m³ — queda de 3,31%

Mercado:

As promessas de apoio do governo americano à indústria interna de petróleo ajudaram as aumentar em 19% os contratos de compra futura negociados pelo WTI. O índice está agora na casa dos US$ 16.00 depois de ter passado por valor negativo.

Uma notícia nova e muito relevante para nosso segmento é o incentivo ao Etanol que o nosso governo vai anunciar amanhã (24/04). Dependendo das medidas, isso pode impactar de forma significativa os preços do mercado.

Outra novidade é a reabertura gradual da quarentena em SP que vai começar dia 11/05. Isso traz um viés positivo de alta de demanda para combustíveis nas próximas semanas. Somada a possível queda da taxa Selic para o nível mais baixo de todos os tempos — 3% ao ano — isso vai incentivar as compras e maiores movimentações de dinheiro — e pessoas.

Com essas variáveis, mais as específicas de produto que listamos abaixo, essas são nossas leituras e orientações para compras de combustíveis:

Gasolina:
Ontem falamos de uma diferença de 15% de preço entre a Petrobrás e a gasolina importada (pelo índice do Golfo/México), o que deixava mais evidente uma possível queda de preço da BR. Porém essa diferença de preços caiu para 5%.

A BR não costuma agir nessas diferenças pequenas de preço, porém ainda pode reduzir por conta de 2 fatores:
1. para fluir o estoque
2. para se manter competitivo perante ao Etanol (que será incentivado pelo governo)

Este cenário se mostra propício para compras moderadas. Pode ser que o preço não se altere, mas há possibilidade de queda.

Etanol:
Os valores negociados nas Usinas ontem chegaram em patamares bem mais baixos do que do início do mês. Hoje o mercado já reflete essa queda com aberturas de preços entre R$ 1,77–1,78. Que é o preço de equilíbrio, paridade de 60% com gasolina (paridade histórica).

Porém a tendência de queda ou aumento do valor depende de algumas variáveis ainda a se observar:

1. A próxima semana já é fim de mês, as usinas tem pressão de venda, isso faz com que o preço tenda a cair até neste período até a primeira de maio.

2. O incentivo do governo pode aumentar o consumo para esse produto (já que ele substitui a gasolina) e isso levar a uma subida de preços.

Acreditamos que nesses próximos dias o preço vai se equilibrar nesses valores de abertura de hoje. Cenário para compras moderadas, apenas o que precisar para o dia a dia. 
E vamos acompanhar os incentivos que o governo vai anunciar, a partir de quando serão válidos para termos uma visão melhor do comportamento de preço do final do mês de abril.

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!