Subida do petróleo e dólar mais caro pressionam a Petrobras

Terça-Feira, 16 de Junho de 2020
Principais Índices

Após um inicio de sessão em baixa, o mercado se recuperou e fechou em alta nesta segunda-feira. Os investidores ganharam ânimo quando o ministro de energia dos Emirados Árabes Unidos, afirmou que acredita que todos os países da Opep devem cumprir com a totalidade dos cortes de produção do acordo atual.

Além disso, o FED (Banco Central Americano) também trouxe uma onda otimista ao mercado ontem. O diretor Larry Kudlow afirmou acreditar em uma recuperação em “V” da economia americana, o que significa uma recuperação tão rápida quanto a queda. Ele ainda reforçou que o presidente dos EUA, Donald Trump, deseja cortar impostos da folha de pagamentos, como forma de estimular a economia.

Em relação a gasolina, os Índices Rbob e Golfo acompanharam o movimento do petróleo e subiram expressivamente. Além disso, o dólar fechou em uma forte alta. Com esta combinação, a disparidade entre os produtos aumentou consideravelmente. O prêmio está em – 12%, o que representa uma diferença de – R$ 0, 19 centavos entre os produtos. Voltou a ser um cenário em que a Petrobras historicamente busca agir e aumentar seus preços. Por isso, não será surpreendente caso a empresa realize um novo aumento ainda esta semana. No entanto, pode ser que ela ainda aguarde alguns dias para confirmar qual será a tendência do mercado. Caso o mercado continue subindo, a expectativa é de um novo aumento da Petrobras no curto prazo é forte.

Paridade BR x Índices Golfo e RBob

Em relação ao Diesel, o produto importado também variou positivamente, em 2,79%. Com isso, o prêmio voltou a estar bem abaixo da paridade, em – 8,49%. Isso representa uma diferença de -R$ 0,14 centavos entre os produtos. Este patamar impõe uma forte pressão de aumento para a Petrobras, que busca estar acima da paridade no Diesel. A tendência é que a empresa realize um novo reajuste em breve. Observe pelo gráfico abaixo, que o patamar atual é mais crítico do que o cenário em que a Petrobras aumentou o Diesel pela última vez.

Paridade BR x Diesel Importado

Derivados

Gasolina
A diferença entre o produto nacional e o produto importado está em um patamar fora da zona de conforto para a Petrobras. Já existe uma pressão de aumento a médio prazo e caso o mercado continue subindo, a expectativa passa a ser de um aumento a qualquer momento.

Diesel
Forte pressão de aumento da Petrobras, principalmente se o Diesel Importado continuar neste patamar nos próximos dias. Podemos esperar um aumento no curto/médio prazo.

Etanol

Os dados continuam indicando que as usinas estão com preços acima dos patamares históricos: estão com altos níveis de estoque e a paridade média com a gasolina está acima do esperado para o período.

No entanto, há uma pressão de aumento para a Petrobras. Se o aumento se concretizar, os preços tendem a subir novamente. Como o mercado é bastante volátil, pode ser que esta de pressão diminua durante a semana e o reajuste não aconteça.

Vale ressaltar a grande volatilidade do mercado e como o cenário pode mudar em um curto período. Mais uma vez, a leitura diária deste relatório é muito importante.

Quer fazer as melhores compras de combustível? Cadastre-se no nosso app e, além de receber esse relatório diariamente, você acessa preços de mais de 20 distribuidoras do mercado: clique em https://prontocombustiveis.online/PanoramaMercado

O Panorama Pronto é realizado pela equipe de Inteligência de Mercado do Pronto Combustíveis. Monitoramos diversos índices nacionais e internacionais bem como o mercado de distribuição de combustíveis.
São projeções e orientações baseadas nesses estudos.
Em geral, nossas previsões estão em linha com o que tem acontecido, mas vale reforçar que, como qualquer previsão econômica, não são certeza que irão acontecer.
É uma ferramenta para ajudar o mercado a programar melhor suas compras.

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!