Presidente da Petrobras se defende contra reclamação dos importadores

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é a0f84-1hrwaxki9cedzj7opx9dkpa.jpeg
Quarta-Feira, 13 de Janeiro de 2021

Cenário

A EIA (Administração de Informação de Energia dos EUA) divulgou projeção para a produção de petróleo em 2021 com uma queda de 190 mil barris/dia em relação a 2020. Além disso, a forte desvalorização do dólar frente as principais moedas do globo incentivou a compra dos contratos de petróleo e fizeram os índices subirem. Em resposta à reclamação por parte dos importadores sobre o “congelamento” de preços pela Petrobras, o presidente da estatal, Castello Branco, disse ao Valor Econômico que a empresa não está segurando preços para conter a inflação. Porém, como mostrado nas últimas semanas por nossas análises, os preços estão extremamente defasados e atingiram o maior spread dos últimos 2 anos.

O dólar apresentou grande desvalorização de -3,34% e fechou o dia em R$5,32. A maior desvalorização em dois anos e meio foi causada pela indicação do Banco Central Brasileiro em subir a taxa básica de juros (SELIC) para conter a pressão inflacionária.

A gasolina do Golfo apresentou alta de 2,12%. Como a variação do dólar teve magnitude maior, o spread caiu para -R$0,45, com o prêmio de -19,4%. Desta forma, o combustível continua abaixo do equilíbrio e com forte pressão para alta.

Fique atento às mensagens de alerta da Pronto durante o dia!

O diesel apresentou valorização de 1,47%. Com a forte desvalorização do dólar, o spread recuou para –R$0,30 com o prêmio de -12,6%. O combustível ainda se encontra bem abaixo do equilíbrio.

O etanol apresentou variação de 0,16% e ficou cotado em R$2.148,5/m³. Os preços de oferta nas usinas mostram continuidade da alta no álcool.

O açúcar equivalente recuou -4,64%. O prêmio em relação ao etanol está na faixa de 26%.

Análise

Gasolina
A PB tem o histórico de deixar o spread entre -R$0,05 e -R$0,07 centavos, segundo a série histórica de preços da petroleira desde 2017. Desta forma, o spread de -R$0,45 deixa a PB abaixo do equilíbrio e transmite forte pressão para que ocorra um aumento no curto prazo. Além disso, os índices abriram o dia em alta de 0,8%.

O patamar atual de spread é o maior dos últimos 2 anos.

Desta forma, nossa recomendação é de compras máximas para a gasolina.

Diesel

O combustível está pressionado para novas altas pela PB e tem grande probabilidade de ser ajustado nessa semana. É esperado um aumento forte, na casa dos R$0,08 e R$0,10 centavos.

Além disso, os índices abriram o dia em alta de 0,4%.

Em consequência da expectativa de forte alta pela Petrobras, indicamos compras máximas para o diesel.

Etanol

Começamos a enxergar movimentação de alta nas usinas. A gasolina está próxima de um novo ajuste e pode alavancar os preços do álcool.

Além disso, sexta-feira (15/12) haverá o aumento da alíquota de ICMS de 12% para 13,3% no etanol dentro do estado de São Paulo. Desta forma, temos mais um vetor para firmar a tendência de alta no combustível.

Em consequência desse fator, nossa recomendação é de compras máximas para o etanol.

Ficou com alguma dúvida sobre esse relatório? Quer saber a melhor recomendação de compra para seu perfil de posto? Entre em contato com a gente:
Whatsapp
:  11 95130 7391.

Ou cadastre-se no nosso app e, além de receber esse relatório diariamente, você acessa preços de mais de 20 distribuidoras do mercado: clique em  https://prontocombustiveis.online/PanoramaMercado

O Panorama Pronto é realizado pela equipe de Inteligência de Mercado do Pronto Combustíveis. Monitoramos diversos índices nacionais e internacionais bem como o mercado de distribuição de combustíveis.
São projeções e orientações baseadas nesses estudos.
Em geral, nossas previsões estão em linha com o que tem acontecido, mas vale reforçar que, como qualquer previsão econômica, não são certeza que irão acontecer.
É uma ferramenta para ajudar o mercado a programar melhor suas compras.

Deixe uma resposta

error: Content is protected !!